Os mais incríveis roubos de obras de arte da história

Recentemente, o mundo foi surpreendido com a notícia do roubo de uma moeda de ouro que pesa 100kg avaliada em US$ 4 milhões em Berlim.

A moeda, chamada de Big Maple Leaf é uma peça comemorativa emitida pela Royal Canadian Mint em 2007. Ela tem 53 centímetros de diâmetro e três centímetros de espessura, além de trazer o retrato da Rainha Elizabeth 2º do Reino Unido estampada em uma das faces como todas as moedas canadenses. O valor nominal da moeda é de US$ 1 milhão, mas no mercado negro pode-se conseguir até US$ 4 milhões.

De acordo com o jornal alemão Handelsblatt, a peça pertence ao empresário Boris Fuchsmann, que teria emprestado a moeda ao museu em 2010.

Mas, não é a primeira vez que uma obra de arte é roubada. Em 1911, a Monalisa, de Da Vinci, foi roubada por um jovem italiano do Museu do Louvre. Vicenzo Peruggia se disfarçou de funcionário do Museu e escondeu a tela em baixo do casaco. A pintura reapareceu em 1913, depois que Peruuggia foi denunciado.

O retrato de Jaques 3º da Gheyn, de Rembrand, é a obra de arte mais roubada de todos os tempos. Foram 4 roubos.

Em 1990, 13 pinturas foram roubadas do Museu Isabella Steward, em Boston, nos Estados Unidos. Entre elas “O Concerto” (foto) de Jan Vermeer. As pinturas até hoje não foram recuperadas e as molduras, sem as telas, permanecem na parede.

Em 1991, um homem se escondeu no banheiro do Museu Van Gogh, em Amsterdã, e roubou 20 obras. Entre elas estava “O auto retrato diante do cavalete”. A polícia conseguiu recuperar as obras pouco mais de 1 hora depois do roubo. Os responsáveis foram presos depois de alguns meses.

A pintura de Leonardo Da Vinci, “Virgem do fuso”, avaliada em 70 milhões de euros. Foi roubada em 2003 de um castelo na Escócia. A obra só foi localizada 2007.

Em 2004, as obras “O Grito” e “Madona”, do artista Edvard Munch foram roubadas do Museu Munch em Oslo. Dois homens armados invadiram o museu e levaram as obras. As obras foram encontradas, porém o estado de “O Grito” era tão ruim que a tela não pode ser totalmente restaurada.

Em 2008, ladrões armados levaram 4 pinturas do museu privado Fundação Coleção Emil G. Bührle em Zurique. Entre elas estava “Campo de Papoulas perto de Vétheuil de Claude Monet. Todas foram recuperadas.

Fonte: Terra

CompartilheShare on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Share on Tumblr0Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *